Podemos considerar que exemplos bem sucedidos na pecuária são a principal fonte de inspiração para aqueles que querem se diferenciar como produtores de carne de qualidade e se rentabilizar da atividade. Decidir atuar de forma estratégica no momento de estruturar um empreendimento rural é a chave para o sucesso do pecuarista e sua permanência na atividade em longo prazo.

O planejamento torna-se crucial para alcançar as metas propostas dentro do sistema de produção com o objetivo de minimizar erros que possam prejudicar os resultados almejados, principalmente no que diz respeito à lucratividade. Desta forma, planejar o manejo da pastagem, estação de monta, seleção do rebanho, compra de insumos, dentre outros, clareia o caminho do pecuarista para que ele possa apresentar ao mercado um produto competitivo e que feche as contas no final de cada ciclo.

A equipe CordeiroBIZ está em constante busca de inspiração para motivar a ovinocultura de resultados no Brasil. Países como a Nova Zelândia, referência mundial em produção de carne de cordeiro, apresentam com destaque o conceito de eficiência produtiva em seus sistemas de produção de carne e leite. E no Brasil, qual a nossa referência? Somos o país com a maior produção e exportação de carne bovina (MAPA, 2013) e o quinto maior produtor de leite no mundo (CNA, 2012). Com relação à ovinocultura esbarramos em uma realidade diferente: insuficiência em atender o mercado interno. Importamos quase que a totalidade da carne ovina consumida no país do Uruguai e, com o apelo do consumidor por produtos de maior qualidade, vivenciamos o aumento do volume da carne ovina importada da Nova Zelândia. O setor urge por mudanças! Em 2012 a equipe CordeiroBIZ alertou seus leitores para esta realidade (leia o artigo aqui), e em 2013 este cenário se repete:

“A companhia neozelandesa, Alliance Group, lançará um novo programa sazonal de exportação da carne de cordeiro Pure South ao Brasil após um teste bem sucedido no ano passado […] O Brasil é a sexta maior economia do mundo e o ponto central dos negócios da América do Sul. A carne de cordeiro é vista como nicho nos principais serviços de varejo/food service e a gama de produtos é de alto valor, direcionada pelo corte rack.” Fonte: (Fonte: www.ruralnewsgroup.co.nz, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint, 03 dez. 2013)

A indústria do leite, que demonstra entender a importância de aumentar a eficiência do sistema produtivo, já deu os primeiros passos para se modernizar e alcançar melhor posicionamento no ranking. A Nova Zelândia apresenta-se presente em nosso país como investidora do setor e, visionária, considera o Brasil como uma potência na produção de lácteos:

“Trazendo o exemplo de produtividade, eficiência e inovação tecnológica da Nova Zelândia para os criadores rurais brasileiros nós esperamos, de alguma forma, também contribuir para os negócios e avanços nessa área tão promissora no Brasil, que possui todas as condições de se tornar um parceiro-chave das empresas da Nova Zelândia.” (Fonte: Jeffrey McAlister, Embaixador da Nova Zelândia no Brasil, Expointer, 15 ago. 2013)

No Brasil, a ovinocultura carece de um setor organizado e exemplar. Parte do ovinocultor, como elo principal da cadeia, a responsabilidade de se comprometer com este resultado e, mesmo em menor escala, encontramos casos de sucesso na produção de ovinos em alguns estados do país. Então produtor, quais as referências em solo brasileiro para utilizarmos como inspiração? Neste ponto, a bovinocultura de corte é apta a nos dar algumas respostas.

Entre os dias 11 e 16 de outubro deste ano, parte da equipe CordeiroBIZ participou da “X Expedição Nutrir”, organizada pela Empresa Júnior de Nutrição de Ruminantes, situada na Unesp de Botucatu-SP. Foram seis dias de viagem, quase três mil quilômetros percorridos na busca por experiências inovadoras e crescimento profissional de todos os participantes. Na programação visitamos seis propriedades que atuam de forma diferenciada no mercado. Sistemas intensivos de produção de gado com pastagem irrigada, confinamentos com produção dos próprios novilhos e compra de animais no mercado, sistemas extensivos com baixos investimentos em tecnologia e central de genética bovina foram as realidades escolhidas pela expedição, além da visita em uma empresa de nutrição e sanidade animal.

Ao apresentar estes cenários buscamos destacar para nossos leitores quais as lições que a bovinocultura de corte tem para apresentar aos ovinocultores brasileiros. O que podemos aprender com a pecuária do Mato Grosso do Sul?

Equipe CordeiroBIZ