Na primeira semana de junho, a fazenda One Stop Ram Shop recebeu a equipe do centro medico veterinário da região de Hawke’s Bay para a realização do scanner em todas as matrizes. Neste, os animais são marcados com diferentes cores na garupa dependendo da quantidade de cordeiros que carregam. O scanner é muito importante na hora da divisão de lotes, pois como as ovelhas que terão partos múltiplos tem maior exigência nutricional, essas são colocadas nos piquetes que garantem alimento suficiente para suprir suas exigências e proporcionar o máximo desempenho, não só das matrizes como dos cordeiros que estão por vir.

À esquerda: Ovelha da raça Finn após diagnóstico de gestação, nenhuma fêmea vazia; à direita: Ovelhas da raça Finn sendo direcionadas ao scanner. Prolificidade apresentada de 251%

À esquerda: Ovelha da raça Finn após diagnóstico de gestação, nenhuma fêmea vazia; à direita: Ovelhas da raça Finn sendo direcionadas ao scanner. Prolificidade apresentada de 251%

Mais do que a divisão de lotes, o scanner ajuda no descarte de animais improdutivos, sendo descartadas todas as fêmeas secas; e as que forem detectadas com parição tardia. Logo após a finalização do scanner, já se tem o resultado do índice de prenhez, porcentagem de femêas secas, gestação de parto simples, gemelar ou triplo, tendo assim a prolificidade do rebanho, na qual este ano teve mínima de 157% na raça Dorper e 251% na raça Finn.

No dia 28 de maio, todos os cordeiros da fazenda One Stop Ram Shop que completaram 8 meses foram pesados utilizando o aparelho XR5000 da Tru-Test. Estes tiveram uma média de peso máxima de 57,5 entre os cordeiros da raça Perendale e minima de 45.7 na raça Finn. Neste momento é feito o descarte dos animais que não atingiram 40 kg, juntamente com animais que apresentam problemas de casco ou quaisquer características indesejadas. Todos os dados são enviados para Claire, geneticista responsável por rodar estatisticamente os dados coletados e colocá-los no SIL, sistema de melhoramento genético ovino da Nova Zelândia, gerando, assim o ranqueamento dos animais.

À esquerda: Cordeiros 3/8 finn; 3/8 Texel e 1/4 Perendale com 8 meses, sendo levados ao centro de manejo para serem pesados. à direita: Cordeiros da fazenda OSRS sendo pesados com o auxilio do Tru-Test

À esquerda: Cordeiros 3/8 finn; 3/8 Texel e 1/4 Perendale com 8 meses, sendo levados ao centro de manejo para serem pesados. à direita: Cordeiros da fazenda OSRS sendo pesados com o auxilio do Tru-Test

A pesagem aos 8 meses é de extrema importância, pois nos mostra o ganho de peso diário do animal desde o desmame, ou seja, sua eficiência no ganho de peso individual, sem interferência materna, que é o que acontece no ganho de peso até o desmame, revelando a eficiência da matriz. Todos os cordeiros serão pesados novamente com 12 meses. Com isso, temos 3 pesagens: desmame, 8 meses e 12 meses; sendo esses dados utilizados no ranqueamento dos animais no SIL. Não só o peso dos animais é leva-do em consideração para o ranqueamento, também são comparados os históricos dos pais e se o individuo é oriundo de parto múltiplo ou simples, sendo os múltiplos melhores ranqueados que os simples.

Neste mês de junho mais uma escola agrícola, com alunos de idade média de 17 anos, foi visitar a fazenda OSRS em busca de aprimoramento em seus conhecimento sobre melhoramento genético ovino. Além disso, os alunos também aprenderam sobre os cruzamentos e como estabilizá-los, ou seja, acabar com o ganho por heterose e ter um ganho real, que será passado para a próxima geração como um ganho genético. Os alunos também viram como funciona a pesagem dos animais, sendo explicado em quais épocas estas são feitas e a importância da coleta desses dados, que serão a base para o ranqueamento destes animais no SIL, onde este foi apresentado aos alunos em forma de catálogo.

Colagem sem título (5)

À esquerda: Alunos da escola agrícola Feilding Agricultural College tendo aula prática sobre seleção de ovinos e melhoramento genético na fazenda One Stop Ram Shop; à direita: Lote de fêmeas apos tosquia higiênica na fazenda One Stop Ram Shop

 

A tosquia dos ovinos é feita normalmente em setembro fim do inverno/início da primavera para melhorar o conforto térmico dos animais no período mais quente do ano. A lã pode ser um empecilho para as ovelhas na presença de sujidades, fezes, galhos, folhas e carrapichos, por exemplo, reduzindo sua mobilidade e bem-estar; além de poder atrair bernes e bicheiras. Os ovinos devem ficar de jejum na noite anterior à tosquia para evitar desconforto ruminal. É necessário ficar atento e tratar caso ocorram pequenos cortes durante a tosquia.

À esquerda: Grupo de tosquiadores da Nova Zelândia fazenda a tosquia higiênica de todas as fêmeas prenhes da fazenda; à direita: Alunos sendo apresentados ao catálogo utilizado na seleção  dos animais

À esquerda: Grupo de tosquiadores da Nova Zelândia fazenda a tosquia higiênica de todas as fêmeas prenhes da fazenda; à direita: Alunos sendo apresentados ao catálogo utilizado na seleção  dos animais

O diagnóstico de gestação é uma ferramenta que auxilia o produtor na tomada de decisão. Fêmeas vazias são separadas e podem ser descartadas do rebanho. Dependendo do equipamento e do tempo de gestação pode avaliar quantos cordeiros a ovelha está carregando e dar prioridade àquelas que terão partos múltiplos.

Mais informações:
Email: contato@cordeirobiz.com.br
Tel: (14) 3880-2983
Equipe CordeiroBIZ