A ovinocultura, assim como toda a indústria pecuária, tem na remuneração sobre o capital investido um dos indicadores mais importantes, senão o mais importante, na decisão de se investir na atividade. Esse indicador deve necessariamente se mostrar positivo uma vez que vai determinar a viabilidade econômica do negócio. Como tal, precisa ser de fácil compreensão para os ovinocultores para a medição de seus resultados e, visando uma ação social e motivadora, inseri-se a possibilidade de se divulgar esses índices econômicos nos meios de comunicação, estimulando o interesse de novos investidores.

Quando se busca resultados confiáveis, há um conjunto de informações que compõem os custos de produção que precisam ser compilados e controlados, citados resumidamente a seguir:

  • Investimentos na propriedade: adequação de pastagem, cercamento, adequação de instalações, aquisição de equipamentos, etc.;
  • Manutenção do rebanho: vacinação, vermifugação, tratamento de intercorrências, alimentação, etc.;
  • Controle e investimento no rebanho: ampliação de plantel, melhoramento das matrizes e/ou reprodutores, nascimentos, perdas de animais das mais diferentes formas e em todas as etapas do sistema de produção, etc.;
  • Mão-de-obra qualificada;
  • Venda dos animais: saber como e com quem negociar sua produção.

A gestão dos dados coletados no acompanhamento da criação, citados acima, irá indicar o ‘custo do cordeiro’, informação essa essencial para as tomadas de decisão dentro da propriedade. Também fica evidente a necessidade de informatização desses processos, através da utilização de programas de controle e funcionários aptos a realizarem tal função, permitindo resultados cada vez mais apurados.

Tornando a abordagem mais didática a fim de facilitar a compreensão sobre os resultados da ovinocultura, pode-se estabelecer, por exemplo, referenciais com preços de outros tipos de carne existentes no mercado. Nesse sentido, podemos buscar uma comparação de preços entre a carne de cordeiro e a carne de boi.

Temos observado que o preço da arroba do boi gordo ficou em torno de R$100,00 no quarto trimestre de 2011 (Fonte: Esalq). Considerando a venda do lote de cordeiros realizada pela Fazenda Viva em novembro de 2011, obteve-se um peso médio de carcaça equivalente a 15 kg (uma arroba) e conseguiu-se apurar o preço médio de R$ 200,00 na arroba de cordeiro abatido.

Considerando que o preço de commodities oscila nos períodos de safra/entre safra, fica evidente que a ovinocultura pode propiciar uma receita duas vezes maior que o ganho com a arroba do boi gordo, ou mais, se for levado em conta que o preço da carne de cordeiro permanece firme e com tendência de alta, enquanto que o preço da arroba do boi atualmente tem permanecido em torno de R$ 95,00 (Fonte: Esalq).

Resultados financeiros do confinamento da Fazenda Viva, localizada em São Sebastião da Grama - SP, referentes ao quarto trimestre de 2011.

Resultados financeiros do confinamento da Fazenda Viva, localizada em São Sebastião da Grama – SP, referentes ao quarto trimestre de 2011.

A fazenda sendo focada na produção de cordeiros precoces, objetiva-se obter um animal que forneça uma carcaça desse porte (15Kg) em 120 dias, no máximo. Considerando uma prenhes de 5 (cinco) meses, vamos obter 2 (dois) nascimentos em 18 (dezoito) meses, tempo necessário para a engorda 1 (um) boi gordo para abate de ótima qualidade.

Não existem informações precisas sobre produção/demanda de carne de cordeiro no Brasil, mas é claro que nossa produção é inferior a demanda, cenário que demonstra toda a perspectiva que esse negócio oferece.

A ovinocultura é um negócio promissor e pode apresentar um resultado financeiro superior àquele conquistado com o rebanho bovino, com a vantagem de utilizar propriedades rurais de pequeno porte, com bastante disponibilidade no estado de São Paulo. Tais propriedades não permitem ganho de escala na pecuária bovina. Embora não seja o foco dessa matéria, esse é um tema importante para ser desenvolvido em uma futura postagem.

Autor do material: Luis Zara Filho, Administrador de empresas e Sócio-investidor da Fazenda Viva

Convidamos os ovinocultores e profissionais do segmento a compartilharem seus resultados, debater as informações apresentadas neste artigo e a colocarem em discussão a gestão econômica da produção de cordeiros, para que possamos nos aperfeiçoar nas análises dos nossos resultados.