Pular para o conteúdo

CordeiroBiz

Investimentos conscientes: quanto você quer ganhar como produtor de cordeiros? (2/2)

Algumas decisões técnicas podem colaborar significativamente para a organização dos sistemas de produção, resultando em informações zootécnicas confiáveis:

  • Capacitação de funcionários

Colaboram para a coleta e organização das informações seguindo as orientações do técnico. Entendem o sistema de produção e o fundamento das suas atividades, como também a sua importância para o resultado final.

  • Manejo de identificação animal

Fundamental para conhecer os animais e organizar um histórico de produção e manejo, trazendo impactos positivos diretos na seleção do rebanho. Esse manejo é vital para indicar quais são os animais que verdadeiramente produzem na fazenda.

  • Manejo de estação de monta

Com essa ferramenta é possível planejar a produção e otimizar a mão de obra, importantes gargalos da atividade. Uma estação de monta organizada permite identificar o pai dos cordeiros nascidos, indicando os pontos de seleção para características herdáveis desejáveis, centraliza os nascimentos em períodos pré-determinados do ano, além de diversas outras aplicações.

  • Informatização

Acurácia e organização dos índices zootécnicos em planilhas e programas de gestão da produção e da propriedade, funcionais aos produtores, quando estes possuem controle dos índices da fazenda. Esses mecanismos permitem ganho de tempo no processamento dos dados como: consumo de ração de creep-feeding e confinamento, consumo de feno e silagem, ganho de peso, custos, organização dos lotes nas pastagens por categorias, exigências nutricionais e uma infinidade de outras informações.

O compromisso para se chegar nesse nível de organização da rotina na fazenda é a base para o controle dos índices zootécnicos dos rebanhos, sendo esses índices a ferramenta fundamental para que o ovinocultor conquiste as principais respostas que solucionam os gargalos da atividade ‘dentro da porteira’.

Considerando que o ovinocultor tenha todos os seus dados na ‘ponta da língua’, torna-se possível responder à pergunta “quanto custa para produzir o cordeiro na propriedade?”. Essa é a informação que falta para a equação que irá determinar a remuneração do ovinocultor.

O gerenciamento do sistema de produção organiza as informações através dos índices zootécnicos para a contabilidade da fazenda. A equipe de profissionais envolvidos em ambas as partes (funcionários da fazenda, técnicos, produtor, administradores, contadores e afins) irão organizar os dados, precificar e fechar as contas. Esses resultados servirão como base para as decisões técnicas tomadas em cada ciclo de produção e direcionamento dos investimentos.

Representação do ciclo dos investimentos conscientes em uma propriedade, quando o foco é o saldo positivo do produtor no fechamento das suas contas.
Representação do ciclo dos investimentos conscientes em uma propriedade, quando o foco é o saldo positivo do produtor no fechamento das suas contas.

Fechar o custo de produção é mais fácil do que parece. Se o produtor colocar na ponta do lápis seus custos mensais o mais completo possível (entradas e saídas), fazer um balanço das contas (positivo, negativo, empate) já é possível um grande avanço e um resultado imediato. Através do cumprimento de metas essa estruturação vai se aperfeiçoando a cada ciclo de produção.

Ao conhecer a renda da ovinocultura (RO = PC – CP, explicado na primeira parte do artigo) é possível aplicar recursos de forma clara e consciente. O produtor terá o respaldo de informações técnicas para as decisões na fazenda e a contabilidade financeira delimitando parâmetros em cima do custo-benefício das ações. É possível maximizar o potencial de produção na propriedade, adaptado a cada realidade, investindo tempo e dinheiro no que trará retorno positivo real nas contas do produtor.

Investimentos cruzados impedirão a sustentabilidade financeira dos projetos para produção da carne de cordeiro a longo prazo. Gastar milhares de reais em um galpão enquanto as ovelhas desmamam cordeiros com 15 quilos aos sessenta dias de idade é um investimento cruzado, errou o alvo. Reformar o pasto sem planejar a ingestão de matéria seca do rebanho, sobrando alimento ou até mesmo suplementar as fêmeas com feno sem saber a exigência do animal é um equívoco de investimento.

Cabe ao ovinocultor firmar parcerias com técnicos em que viabilizem a produção, organizando o sistema de produção, além claro, do comprometimento com os resultados de ambas as partes.

Para finalizar, fica uma pergunta para ser respondida, agora com as ferramentas em mãos: Quanto você quer ganhar como produtor de cordeiros?

Equipe CordeiroBIZ

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *