O Prof. Dr. Hugh Blair é vice-diretor do Instituto de Veterinária, Zootecnia e Ciências Biomédicas da Massey University campus Palmerston North e é, atualmente, um dos mais conceituados pesquisadores em melhoramento genético ovino na Nova Zelândia. A Massey University é a maior universidade da Nova Zelândia com mais de 35.000 estudantes matriculados anualmente com reconhecimento internacional em ensino e pesquisa em melhoramento e produção animal, em especial ovinos. O Prof. Dr. Hugh Blair leciona as matérias de reprodução animal e genética para estudantes de graduação e pós-graduação e é, também, mentor para assuntos relacionados à pesquisa e comercialização. Ele é convidado regularmente a participar de bancas de availação de pedidos para financiamento de pesquisas conduzidas no instituto, na universidade e em outras regiões do país.

O Prof. Dr. Hugh Blair é atualmente diretor interino do National Research Centre for Growth and Development (Centro Nacional de Pesquisa para Crescimento e Desenvolvimento) – Centro de Excelência em Pesquisa, diretor da Equine Trust, co-diretor do Joint Research Centre for Developmental Biology and Sheep Breeding – Chinese Academy of Sciences/Massey University (Centro Comum de Investigação em Biologia do Desenvolvimento e Reprodução de Ovinos – Academia Chinesa de Ciências / Universidade Massey), membro do conselho de administração do Allan Wilson Centre (Centro Allan Wilson) e da New Zealand Animal Evaluation Ltd (Avaliação Animal da Nova Zelândia Ltda). Ele tem participado como consultor internacional para a FAO, AIEA e INIA (Uruguai) e é, também, patrono da Rare Breeds Conservation Society (Sociedade de Conservação de Raças Raras) e presta consultoria a várias empresas com foco em produção de ovinos, peixes e cães.

Para efeitos genéticos, é típico dividir qualquer indústria pecuária em dois setores, o setor núcleo e o setor comercial. Produtores do setor núcleo fazem melhoramento genético de seus rebanhos, que é então passado para o setor comercial, normalmente através da venda de carneiros, mas também através do uso de inseminação artificial. É no setor comercial que a genética melhorada do setor do núcleo são amplamente expressos em produtos, tais como carne ou de fibras ou os custos reduzidos, como a resistência a doenças ou a um aumento da eficiência de alimentação.

Para os criadores do núcleo usando gravação de execução, a abordagem mais comum para o melhoramento genético é medir traços de indicadores do próprio animal ou de seus parentes próximos (pai, mãe, descendência ou meios-irmãos) e usar o software contido em um sistema fornecido pela Sheep Improvement Limited (SIL) para transformar esses fenótipos em estimativas de mérito genético (valores genéticos) para seleção de características objetivas contidas no rebanho.

Estes valores de produção são, então, combinados com os valores econômicos que o produtor tem atribuídos a cada característica para gerar um índice global de seleção para cada animal.

A realidade para muitos produtores de ovelhas é que através da aplicação de conhecimento existente no seu método de criação, eles poderiam fazer uma melhoria significativa na taxa de progresso genético alcançado em seu rebanho.

Informações do palestrante adaptadas pela equipe organizadora do I Workshop Internacional em Sistemas Integrados de Produção Agropecuária “Ovinocultura de Corte”

Interessados em participar do evento, comparecer no dia para fazer sua inscrição. Para mais detalhes clicar na imagem abaixo.