Pular para o conteúdo

CordeiroBiz

O conceito de ‘produtividade’ na ovinocultura de corte

E afinal de contas, o que é essa tal de produtividade? Seria um bom manejo de forma produtiva? Seria uma boa terminação dos cordeiros? O que seria…

PARE PRODUTOR!!!

A pergunta que cabe aqui é: “Qual é o seu foco???”

Tenha sempre em mente que produtividade remete ao maior aproveitamento com relação à qualidade do que é produzido! Óbvio não é? Não, não é! A ovinocultura é muito interessante quando jogamos os seus dados na planilha. Parece que sua progressão é em “PG” (Progressão Geométrica) onde o número de uma simples matriz pode dobrar no que diz respeito à produção de cordeiros. Isso é de fato muito interessante ao investidor.

Na prática, partos gemelares são de estremecer qualquer produtor! Os gêmeos que deveriam ser a felicidade de um rebanho de corte na planilha, são na verdade os causadores de problemas na vida real. Mas produtor, você já parou para se perguntar o porquê desses cordeiros não vingarem?

Na “matemática de padaria” que fazemos, mesmo que os gêmeos sejam menores, a produtividade da ovelha é de tirar o chapéu quando temos dois cordeiros de 18Kg cada um, ao invés de um cordeiro de 21Kg, correto? Estamos falando de uma fêmea que desmamou 36Kg de cordeiro e de outra que desmamou somente 21Kg! Qual seria a dúvida aqui?

Pasmem! Quando temos uma ovelha parindo gêmeos, isso significa que: SIM! Nós acertamos no manejo nutricional desse rebanho quando ele foi desafiado à monta! NÓS somos os culpados por termos feito a nossa ovelha ovular.

Observem na tabela abaixo que a qualidade do alimento fornecido aos animais entre o período de desmama e estação de monta tem grande influência sobre a taxa de ovulação das matrizes no rebanho, lembrando que cada óvulo fecundado da origem a um cordeiro, sendo assim, uma ovelha super ovulada possui mais chances de ter uma gestação com mais de uma prole.

Um planejamento nutricional ajustado, com alimentos de qualidade, tem influência direta na maior ovulação das matrizes no rebanho

Agora reflitam se preferem nadar e morrer na praia, ou se preferem nadar, sair da praia, tomar um sol e ainda poder pagar um petisquinho com uma bela caipirinha com o lucro provindo do sucesso da sua produtividade?!

Ahhh a produtividade… É uma felicidade dúbia para o produtor brasileiro!!! Enquanto os neozelandeses não entendem como produzimos menos do que eles sendo que a Nova Zelândia é um país que não tem nem o tamanho de nossa querida Minas Gerais, cá estamos nós! Lutando para produzir UM cordeiro por fêmea… Como vamos explicar o nosso subaproveitamento das pastagens e da nossa produção?

Fazenda Viva

Entramos na estação de nascimentos na Fazenda Viva! Os primeiros cordeiros nasceram dia 13 de Agosto de 2012. Estamos com 25% do total de parto duplos. O que faremos? Essas serão as cenas dos próximos capítulos!

Podemos adiantar que a nutrição (inicialmente a causadora desses futuros “lucros” – os partos gemelares) não poderá ser deixada de lado nessa fase de aleitamento. De nada adiantam somente pastos, se o seu produto (o cordeiro) não está bem trabalhado, sendo assim haverá também uma seleção de fêmeas boas e de fêmeas ruins nesse desmame.

E você produtor, em sua condição, você consideraria que tem a sua fazenda produtiva?

Equipe CordeiroBIZ

3 comentários em “O conceito de ‘produtividade’ na ovinocultura de corte”

  1. Sim, concordo que na produção de corte, os partos gemelares seria lucro para o produtor.
    Mas o que vejo por aqui, como foi dito, que o parto duplo é um problema para todos.
    Por “n” motivos. Como falta de alimentação, assim temos ovelhas que rejeitam seus borregos, ou não tem leite suficiente, entre outros.
    Outro problema são as estações de monta desorganizadas, tanto no requisito concentração dos partos, como época do ano que será programado o nascimento. Ocorrendo mortes de borrego por chuva de mais ou frio de mais.
    Falta de seleção das matrizes, selecionando uma boa maternidade, boa produção de leite e porte.
    E um outro caso que não é menos importante é a mão de obra desqualificada (maior problema da ovinocultura), tendo assim um manejo deficiente. Não sabendo trabalhar com ovelhas de parto duplo, onde eu acho que devemos ter uma melhor observação.
    Fiz uma descrição rápida, do porque que eu acho que os partos gemelares eh um problema, para muitos produtores.
    obrigado

  2. Olá Murad Skeff, é um prazer ter o seu comentário em nosso mural.
    Quando falamos em produção, devemos selecionar os animais que estão de acordo com o que queremos. As abordagens feitas por nossa equipe CordeiroBIZ tratam de como conseguir alcançar melhores índices de produção. Dessa forma, gostaria de deixar o meu palpite pessoal e como produtora para os “N” motivos destacados:
    1. Ovelhas que rejeitam borregos – Essa categoria de animais não servem para produção. Ovelhas são para produzir e criar bem seus cordeiros;
    2. Ovelhas sem leite – A ovelha não produz leite suficiente para gêmeos, portanto, foque na nutrição com a ajuda de um técnico. Esse problema é ajustável. Para ovelhas sem leite, essa também é uma categoria que não deve estar no rebanho.
    3. Ovelhas sem estação de monta – Foque a sua produção. A monta serve não somente para concentrar parto, mas para avaliar a produção de diferentes ovelhas. Uma vez que estão em um mesmo clima, se alimentando de forma igual, deveriam desmamar cordeiros de mesmo peso. Isso promove um descarte justo de quem não produz bem. Além de ajudar a mão-de-obra a diminuir a mortalidade, pois a concentração de parição foca nos principais pontos a serem trabalhados com cordeiros novos.
    Mão-de-obra é sem dúvida um grande problema. Por isso não lido mais em minha fazenda com pessoas que nunca viram ovelhas. Tenho um técnico responsável que atua junto comigo, e trabalhamos os problemas juntos!
    Qualquer dúvida estamos à disposição. Lembrando que somos produtores sofrendo os mesmos problemas!
    Abraços

  3. Gustavo Michelotti Fleck

    Prezada Ana Carolina, Boa Tarde.
    Sou advogado, contudo estou decidido a ingressar na ovinocultura.
    Já adquiri uma propriedade de 600ha, no final de 2012, e estou na fase de implantação da estrutura e aquisição das matrizes e reprodutores.
    O investimento está sendo direcionado para ovinocultura de corte.
    Gostaria de saber se existe alguma obra bibliográfica ou produção textual, ou alguma outra forma de ter maior conhecimento sobre a estrutura que realizarei no local.
    O fato é que ainda não iniciei a estruturação de lida, pois desconheço o necessário.
    Gostaria de uma estrutura para confinamento de ovinos.
    Haveria alguma indicação ou orientação sua que pudesse compartilhar?
    Desde já, fico muito grato.
    Atenciosamente,
    Gustavo Michelotti Fleck

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *