Será ministrada pelo Prof. Dr. Ives Cláudio da Silva Bueno, possui graduação em Engenharia Agronômica pela Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (ESALQ), da Universidade de São Paulo (USP) (1993), mestrado (1996-1998) e doutorado (1998-2002) em Ciências (Energia Nuclear na Agricultura) pelo Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA), da Universidade de São Paulo (USP). Realizou dois pós-doutorados, sendo o primeiro na Universidade de Brasília (UnB) (2003-2006) e o segundo no Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA) (2006-2008). Atualmente é docente da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA), da Universidade de São Paulo (USP), e assessor ad hoc/revisor da(o) EMBRAPA, FAPESP, Animal Feed Science and Technology, Revista Brasileira de Zootecnia, Tropical and Sub-tropical Agroecosystems, Ciência Animal Brasileira, Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal e Revista Científica de Produção Animal. Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Nutrição Animal, atuando principalmente nos seguintes temas: produção de gases, proteína microbiana, digestibilidade, nutrição de ruminantes e avaliação de alimentos.

Os ruminantes são animais que, devido à sua associação simbiótica com microrganismos, possuem capacidade de aproveitamento da energia dos alimentos de modo diferenciado dos monogástricos. A fermentação ruminal de carboidratos estruturais permite o aproveitamento de parte da energia destes compostos, porém, parte desta energia é perdida na forma de gases (preponderantemente, CO2 e CH4). Estes gases têm grande importância ambiental pois estão reconhecidamente envolvidos no chamado efeito estufa.

Uma das principais fontes mundiais de metano é a fermentação do trato digestório de animais, principalmente de ruminantes. A fermentação contribui com 28% da emissão de CH4 global, seguida por gás natural (15%), lixo sólido (13%) e cultivo de arroz (11%). A emissão de metano representa perda de 3 a 10% da energia bruta ingerida pelo animal. No entanto, a população microbiana ruminal das diferentes espécies de ruminantes é bastante distinta e há pouca informação a respeito do potencial metanogênico para cada espécie.

O Brasil, por ter o maior rebanho comercial de bovinos do mundo, é tido como um grande emissor de metano e deverá diminuir esta emissão através de alguma estratégia, tal palestra abordará a produção de gases em produção de ovinos e seu impacto na atmosfera.

Informações do palestrante adaptadas pela equipe organizadora do I Workshop Internacional em Sistemas Integrados de Produção Agropecuária “Ovinocultura de Corte”
Interessados em participar do evento, comparecer no dia para fazer sua inscrição. Para mais detalhes clicar na imagem abaixo.